Jetman | Um brilho nos céus da terra do sol nascente

Não sei se a história é verdade, mas li em alguns lugares que por volta de 1990 os produtores da franquia Super Sentai perceberam que a saga tinha perdido força entre seu público. Foi quando tiveram a ideia de levar a brincadeira um pouco mais a sério.

Assim nascia CHOUJIN SENTAI JETMAN (Esquadrão dos Homens-Pássaros Jetman)!

A história parte da mesma ideia dos até então 14 grupos anteriores:

Cientistas da Sky Force, um departamento militar de defesa, descobrem uma energia chamada Birdonic. Com o objetivo de criar um supergrupo de heróis para proteger o planeta, a comandante Aya Odagiri escolhe cinco pessoas para transplantar-lhes tais energias. Entre eles, o casal Ryu Tendo e Rie Aoi.

Entretanto, logo depois de Ryu ter recebido a energia Birdonic, a base espacial da Sky Force é atacada pelas forças de Vyran. Rie e os outros três escolhidos são mortos. Os padrões de energia restante se espalham aleatoriamente pelo Japão e atingem quatro civis. Aya e Ryu partem na busca das pessoas atingidas. Tem assim início a saga dos Jetman.

A seguinte Observação visa desconstruir esta série e explicar o porquê dela ser tão interessante (minha favorita entre os Sentais). E quem sabe, te convencer a vê-la!

UM NÃO GRUPO DE HERÓIS

A formação de um grupo de Sentai ou Power Rangers (sua contraparte estadunidense) é quase sempre a mais básica possível. Normalmente são amigos já, ou quando não, tornam-se rapidinho. Mas Aya e Ryu não previam tanta dificuldade.

- Kaori Rokumeikan (White Swan) é riquinha e aceita para acabar com a monotonia do dia-a-dia e também por ter se sentido atraída por Ryu, mas confunde o nome do grupo com Gentleman.

- Raita Ooishi (Yellow Owl) mora em uma fazenda e topa participar apenas depois que sua plantação é pisoteada pelos asseclas de Vyran.

- Ako Hayasaka (Blue Swallow) ainda é estudante e extremamente ambiciosa. Entra no grupo depois que Kaori lhe oferece um cheque 10 milhões de ienes (o mesmo é devolvido no final do segundo episódio, quando ela afirma não poder permitir que os inimigos invadam a Terra).

Ainda sim, todos decidem unir-se e proteger a natureza, Terra ou qualquer coisa assim. Não muito diferente dos demais grupos de heróis coloridos. E assim seria, caso não existisse Gai Yuuki, o Black Condor!

Boêmio, bonachão, fã de jazz e apaixonado por todas as mulheres, Gai surpreendente recusa todas as propostas de Ryu para se tornar membro da equipe. No segundo episódio da série, se vê obrigado a unir-se a eles, caso contrário seriam todos mortos.

Mas, ao fim da batalha, sua primeira reação é dar um soco na cara de Red Hawk, jogar fora o bracelete que o faz transforma-se em guerreiro e ir embora montado a bordo de sua moto. Somente após muita insistência, e percebendo a inevitabilidade da situação, que assume o posto.

UMA SÉRIE FORA DO COMUM

Jetman é uma saga com muitos pontos altos. Vejamos alguns deles:

- Drama:
Este sentai, em específico, apostava na humanidade de seus heróis. Isto é destacado em vários momentos, mas é bastante nítido no episódio 11 (Jogo perigoso). Nele os heróis são atacados por Jihanki Jigen, um monstro criado a partir de uma máquina de suco, que dá aos heróis um energético que enaltece aspectos negativos, mas presentes lá no fundo em cada um deles.

Ryu acaba virando um preguiçoso; Kaori uma ganaciosa; Raita um valentão solitário; Ako uma sonhadora; e Gai, indo contra ao que vimos até então, vira o corajoso (como ele tinha muitos aspectos negativos, o vilão acabou sem querer enaltecendo o que tinha de positivo).


Os efeitos e as virtudes dos heróis são trabalhados ao longo de toda a série. Afinal, Ryu não tem nenhum ímpeto de liderança e tem sérias rixas com Gai por conta disso. E o atrito entre eles é tão grande que culmina no episódio 22 (Amor explosivo) quando temos a violenta briga entre os três homens da equipe. Curiosamente, os inimigos neste episódio aparecem somente no fim quebrando a matemática de uma série sentai comum com monstro e robô.

A briga entre os dois rende um dos melhores diálogos da série, no episódio 13 (O labirinto do amor), quando Ryu chega em um bar e pede um copo de leite quente.
“E para mim, bebida para macho”, rebate Gai.

Os líderes de Vyram: Radiguet, Maria, Tran e Grey
- Histórias mais realistas:
Não exatamente realistas, afinal nossos heróis ainda usam colantes coloridos. Mas temos aqui uma pegada sentimentalista, como paixões infantis por ursinhos de pelúcia (episódio 21 – Lixo ambulante) e primeiros amores (episódio 20 – Casamentos aspirados).

Além disso, também trata de algumas críticas sociais, como o desperdício das grandes marcas, jogando fora parte de seus produtos para valorizar os que ainda estão a venda (no mesmo episódio 21) e a ambição profissional (episódio 40 – Ordem! A troca de esquadrão). Mostrando que os vilões não estavam apenas no espaço.

- Quinteto amoroso:
Ryu amava Rie. Mas você lembra que ela morreu, não é? Isso não é bem verdade, e sabe disso se já assistiu a série. Ela retorna com Maria, um dos quatro líderes Vyran (os demais são Radiguet, Grey e Tran/Tranza), sem recordação de seu passado. Entretanto, ele pensa que ela está morta. Enquanto isso...
Kaori, como dito antes, apaixonou-se por Ryu de cara e essa paixão apenas aumenta com o tempo.

Enquanto isso, Gai, orgulhoso, tenta mostrar a todo custo de que o único que gosta dela é ele.

Enquanto isso, o robô vilão Grey mostra-se apaixonado por Maria.

Reunião do elenco em 2004: Mikiko Miki (Comandante Aya),
Toshihide Wakamatsu (Gai), Ikko Tadano (Raita), Rika
Kishida (Kaori) e Kotaro Tanaka (Ryu)
Pronto! Está armado um conflito levado até o derradeiro e inesperado último episódio.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Choujin Sentai Jetman ousou em mostrar um lado dos sentais que as demais sagas da franquia não haviam revelado. Fato pouco repetido posteriormente.

Há episódios brilhantes como o 12º (O ônibus que veio do inferno), com um viés para o horror, o 18º (A morte de Gai), o 32º (Asas! De novo), o 42º (Durma no meu colo).
Participação de Gai em Gokaiger (2011)

Ao fim desta série vemos um Ryu líder, confiante e determinado. Gai finalmente trabalhando em equipe e, inclusive, colocando-a acima até de sua vida. Quer exemplo mais claro do que sua participação no episódio 28 de Gokaiger (o 35º Super Sentai), Asas Eternas? Um posfácio mais do que brilhante para esta saga.

Seria injusto com quem não viu dizer o que acontece no fim, mas fica a pergunta a quem chegou lá: é possível não deixar ao menos uma lágrima escorrer sob o rosto com aquela última cena? Eis um clássico que merece ser visto, apenas isso!

ESQUADRÃO DOS HOMENS-PÁSSAROS JETMAN
Nome original: Choujin Sentai Jetman
Produção: Toei Company
Episódios: 51 (aproximadamente, 20 minutos cada)
Ano de exibição: 1991-1992 (TV Asahi - inédito no Brasil)
Produtor-chefe: Atsushi Kaji, Takeyuki Suzuki e Kyōzō Utsunomiya

2 comentários:

  1. Eu vi esses episódios recentemente. Pena que aqui no Brasil não foram exibidos, mas a internet está aí para nos ajudar. Uma série bem construída e bem feita.

    Vou assistir em breve as séries que a Saban usou pra fazer as primeiras temporadas dos Power Rangers, Zyuranger e Dairanger.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda tenho duvida até hoje. qual é a melhor serie JETMAN OU LIVEMAN. e ainda os dois episódios de GOKAIGER homenageando as duas séries também me deixou mais duvida qual foi o mais emocionante kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...