Supah Ninjas | Clichês, pancadaria e fim prematuro do combate ao mal

Mike, Owen e Amanda são um grupo de amigos que por trás das facetas que tentam passar na escola de nerd, comediante e CDF, respectivamente, combatem o crime como ninjas. Mas mais do que isso, eles são os SUPAH NINJAS.

Produzida pela Nickelodeon entre 2011 e 2013, a série não conseguiu angariar muitos fãs e acabou cancelada abruptamente ao fim da sua segunda temporada. Mas deixou um legado interessante, com episódios que, se não emocionam, ao menos entretém.

O objetivo da presente Observação é apresentar a trama de maneira rápida e sutil, a maneira que apenas os bons ninjas fazem.

SOBRE A SÉRIE

Elenco da série
Mike Fukanaga e Owen Reynolds eram jovens comuns. Ok, talvez comuns até demais, já que passavam totalmente despercebidos na escola Benjamin Rush. O mais curioso é que, perceberemos mais tarde, eles acabam esquecidos até dos praticantes de bullying.

Entretanto, tudo muda quando Mike recebe de seu pai uma carta misteriosa que seu falecido avô havia deixado para ele. O conteúdo revela um segredo que fica embaixo da sua cama, uma base secreta, onde o avô Fukanaga (vivido pelo ator George Takei, o Tenente Sulu da primeira série de Jornada nas Estrelas) ainda vive, embora em forma de holograma. O responsável por cuidar do local é o robô Yamato.

Ele revela ao neto que a verdade sobre sua família, que eles são de uma antiga linhagem de ninjas e este também é o seu destino (ao contrário de seu pai, o eterno trapalhão Martin, que trabalha como policial na cidade Império). Mas como o Owen também está ali, e a ligação entre ambos é extremamente forte, então teremos dois ninjas.

O engraçado pai de Mike
E a inexperiência da primeira missão nos leva ao terceiro membro: a garota que Mike gosta, mas tem medo de se revelar, Amanda. Isso porque ela facilmente identifica os dois quando é sequestrada e, depois, salva por eles. A interação entre eles será o principal ponto forte da série.

Juntos combaterão os mais estranhos casos de bandidagem na cidade.


INFLUÊNCIAS

Supah Ninjas segue muito fortemente a fórmula dos tokusatsus (Power Rangers, Super Sentais, Jaspion, Jiraya, etc.). Os heróis usam roupas colantes, com detalhe para as roupas de treinamento que, ao contrário da que eles põem quando entram em ação que é preta, são coloridas (azul, lilás e vermelho).

Além disso, temos a presença de um robô (o Yamato) e elementos de ficção-científica, como o próprio hologravô e a base altamente tecnológica dos heróis (incluindo a abertura dela, na cama de Mike).

FIM PREMATURO (OU NÃO!)

Já comentamos aqui sobre uma série que foi cancelada bem cedo.

Não é o caso de Supah Ninjas, interrompida após 39 episódios, divididos em duas temporadas, tenda a primeira 26. A audiência aqui foi mais uma vez determinante, mas chama a atenção a insistência da emissora em manter o programa no ar mesmo com resultando constantemente baixo.

Normalmente, quando alguma série encontra-se na mesma situação nos Estados Unidos, existem basicamente duas opções:
- cancelamento é imediato (quando uma mudança de rota não é possível), evitando assim prejuízos futuros (caso de Hidden Palms, que durou apenas oito episódios);
- mudança no rumo da série, que podem envolver trocas nas equipes de produção ou, às vezes, até de emissora (caso de Cougar Town e Buffy, a caça-vampiros).

Ao menos a concepção dos vilões era interessante
Supah Ninjas talvez tenha tido uma demora em identificar os motivos do baixo público. A série não primava pela qualidade em suas histórias, buscava atingir um público complicado, que são os jovens. Ter êxito nesta missão é extremamente complicado, mas a emissora Nickelodeon já tinha um sucesso nas mãos com iCarly.

A ideia central nunca foi alterada, os episódios seguem um modelo semelhante em cada um deles. Quando ela ousou mudar, inserindo um novo elemento aos ninjas (os ‘supostos’ superpoderes), o fim chegou. Isso não necessariamente pode ser considerado um ponto negativo. Para os fãs, que gostaram e se acostumaram com o modelo, isso é até agradável.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Honestamente, Supah Ninjas teve o fim que mereceu. E olha que era fã da série. Mas o abuso dos clichês, falta de novidades, trama batida a cada episódio (embora com alguns vilões bem construídos) e rumos mal tomados pela trama a fizeram ter uma sequência muito fraca.

Mas talvez esse fim tenha vindo cruel demais, sem um término definitivo. Para quem ainda não viu, tenho uma dica: não veja o minuto final. A cena em que Amanda finalmente assume seus sentimentos por Mike no diálogo com Owen é bonito o suficiente para fechar a saga dos ninjas.

Embora não tenha sido no final, os protagonistas acabam
se beijando logo no segundo episódio da primeira temporada
“Tá olhando de novo!”, debocha Owen com sua risada habitual.
“Eu sei, eu sei. Eu tô olhando só um pouquinho”, diz Amanda com um olhar apaixonado em direção a Mike.

Seria um bom final para os 39 episódios, muito melhor do que o que virá no minuto seguinte e te deixará na mão, uma vez que não saberemos o destino do jovem ninja.

SUPAH NINJAS
Criação: Leo Chu e Eric S. Garcia
Ano de exibição: 2011 a 2013
Elenco: Ryan Potter (Mike Fukanaga), Carlos Knight (Owen Reynolds), Gracie Dzienny (Amanda McKay) e George Takei (Hattori Fukanaga, o hologravô, e Kagema Fukanaga, o vilão da história)
Número de episódios: 39 (divididos em duas temporadas, tendo a primeira 26)

3 comentários:

  1. Finalmente um artigo em português sobre Supah Ninjas! E ainda descubro que tem uma segunda temporada! Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha gostado, Luiz! Procure na internet, achei fácil a segunda temporada para baixar. Abraços!

      Excluir
  2. o final foi uma trairagem numca vi,uma série que gostei muito acabar num final que destruiu meus sonhos,ainda da pra voltar no tempo, os atores estão do mesmo geito, bem que poderiam retornar em uma nova temporada mais parece que a nick só se preúcupa com dinheiro

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...