Dredd | O herói por trás da lei

“A América é uma terra devastada pela radiação. Dentro dela há uma cidade. Fora do limite de seus muros, um deserto. Uma terra amaldiçoada. Dentro dos muros, uma cidade amaldiçoada... que se estende de Boston até Washington. Uma paisagem inteira de concreto. 800 milhões de pessoas vivendo nas ruínas do Velho Mundo e nas megaestruturas do novo mundo. Megaquarteirões. Megaestradas. Mega-City Um.

Agitada. Sufocada. Sucumbindo ao seu próprio peso. Cidadãos com medo das ruas. A arma. A gangue. Somente uma coisa lutando pela ordem nesse caos: os homens e mulheres do Salão da Justiça”.

Que melhor resumo de uma história que não a do texto narrado pelo personagem principal? Com as palavras acima, começa DREDD.

Se você é daqueles que a única coisa que ouviu sobre o famoso juiz inglês é o filme com o Stallone de 1995, seria bom começar a rever algumas coisas. E que tal partir desta Observação da nova adaptação para os cinemas de Juiz Dredd?

PÉ NA PORTA E SOCO NA CARA

Juiz Dredd nas HQs, por Simon Bisley
Listas de melhores alguma coisa são sempre suspeitas. Difícil entender critérios e mentes por trás das escolhas e sempre teremos divergências e polêmicas. Mas acho importante citar uma: a das 50 melhores personagens dos quadrinhos, do site da revista Esquire.

Veja bem, não estamos aqui para questionar os resultados, mas chama a atenção uma revista estadunidense listar entre os melhores um tal de Joe Dredd na sétima colocação.

Juiz Dredd foi criado em 1977 para a notória revista inglesa 2000AD, por John Wagner e Carlos Ezquerra. No cenário mencionado acima, o mundo, em um futuro não tão distante, se viu diante de uma guerra que nuclear que destruiu boa parte do planeta. Após este acontecimento, o mundo se viu diante das tais megalópoles e nestes estranhos locais o sistema democrático caiu. A lei é regida pelo “Departamento de Justiça, formado por juízes que acumulam a função de juiz, júri e executor – um sistema de justiça imediata criado para combater a criminalidade fora do controle das megacidades”, conforme consta no texto de apresentação da primeira edição de Juiz Dredd Megazine, publicação da editora Mythos.

Joseph Dredd é o mais famoso desses juízes, “um clone do antigo juiz-chefe do Departamento de Justiça, criador do conceito de justiça imediata”.

UMA NOVA CHANCE NOS CINEMAS

A diferença visual entre Stallone e Karl Urban, que
interpretaram o personagem nas adaptações de 1995 e 2012,
respectivamente
Insisto, se você ainda está aqui por seu interesse no filme com o Stallone, esqueça! Aquele não é o verdadeiro Dredd, e isso vai muito além do fato dele retirar o capacete (embora o verdadeiro nunca o retire!).

Você sabia que a ideia debatida na série, em relação aos juízes, é do mundo regido pelo fascismo?

Emilio Gentile, historiador italiano especializado na ideologia e cultura do fascismo, elenca dez elementos constitutivos desta ideologia. Não mencionarei todos – sua teoria é facilmente encontrada na internet – mas sim os mais próximos do mundo de Dredd:

"4. Uma concepção totalitária do primado da política, concebida como uma experiência de integração para realizar a fusão do indivíduo e das massas na unidade orgânica e mística da nação como uma comunidade étnica e moral, a adoção de medidas de discriminação e perseguição contra aqueles considerados fora desta comunidade quer como inimigos do regime ou membros de raças consideradas inferiores ou perigosas para a integridade da nação;

5. Uma ética civil, fundada em total dedicação à comunidade nacional, sobre a disciplina, a virilidade, a camaradagem e o espírito guerreiro;

6. Um Estado de partido único que tem a tarefa de prover a defesa armada do regime, a seleção de seus quadros de direção e organização das massas no interior do estado, em um processo de mobilização permanente de emoção e da fé;

7. Um aparato policial que impede, controla e reprime a dissidência e a oposição, mesmo usando o terror organizado."

Eis o motivo pelo qual Dredd, a nova produção do personagem para a telona, é muito mais leal ao material original. O Juiz mais famoso de Mega-City Um é, portanto, um herói que não pediria tal título, ao contrário, preferia ser visto mais como um anti-herói, desde que suas ações fossem vistas como forma de manter a ordem local.

A insana Madeline Madrigal, a Ma-Ma
O filme começa com Dredd incumbido de acompanhar Cassandra Anderson, uma recruta que não conseguiu passar em nenhum dos testes para tornar-se juíza, mas é valorizada por seus dons telepáticos. A trama se passa durante a primeira missão de Anderson ao lado de Dredd, no gigantesco bloco residencial Peach Trees, que o bando de Madeline Madrigal, conhecida como Ma-Ma, controla do alto do 200º andar.

A obra é recheada de uma violência sem limites, com os dois Juízes tentando tomar o local. A situação esquenta quando eles descobrem que Ma-ma é a principal produtora de uma nova e perigosa droga no mercado, o Slo-Mo, que faz seus usuários enxergarem a realidade com uma fração da velocidade normal. O visual que a película adquire quando alguém ingere a droga, inclusive, é um dos destaques do filme.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Dredd é um filme muito bem produzido e com uma história envolvente. Apenas dois fatos incomodam, mesmo que sem prejudicar o rumo da trama:

Recruta Cassandra Anderson
- História completamente focada no bloco residencial Peach Trees – é como se nada mais existisse em Mega-City Um. Entretanto, podemos dizer que tal evento é contornado por uma simples fala do personagem principal, afinal em uma megacidade com “doze crimes graves relatados a cada minuto. 17 mil por dia”, como bem nos informa Dredd, fica difícil realmente atender mais do que os 6% dos casos.

- Apesar do nome do filme, o verdadeiro astro do filme é a novata Cassandra. O famoso juiz acaba sendo meramente um apoio a construção da personagem – talvez o motivo pelo qual os realizadores da obra, e o ator Karl Urban, que vive Dredd, comentaram que em um possível segundo filme o foco seria a origem do mítico personagem. Novamente, não é uma falha do filme, uma vez que os elementos principais e queridos de Dredd lá estão.

Finalmente um bom filme do Juiz para curtir!

Confira o trailer do filme:

DREDD
Estúdio: DNA Films, IM Global e Reliance Entertainment
País de origem: Inglaterra e África do Sul
Ano de lançamento: 2012
Diretor: Pete Travis
Roteiro: Alex Garland
Elenco: Karl Urban (Juiz Dredd), Olivia Thirlby (Cassandra Anderson) e Lena Headey (Madeline Madrigal, a Ma-Ma)

2 comentários:

  1. Outro dia estava folheando uma HQ deste título em uma banca e fiquei com vontade de adquirir aquela edição, no entanto não comprei. Mas agora com esta apresentação fiquei ainda mais interessado pelos temas e enredo político que a história aborda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, compre a revista. É uma das melhores revistas de histórias em quadrinhos que temos nas bancas atualmente. E assim o filme também, claro! Mas compre a revista. Abraços e obrigado pelo comentário!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...